ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS


Você está em: ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS





Procedimento para Eixo Cardan


O eixo cardan deverá ser montado de maneira que as estrias (quando houver) sejam protegidas de todo tipo de intempéries. Esta posição evitará a penetração de contaminantes no interior do conjunto deslizante.

Outro ponto importante para instalação de eixos cardans é a condição das contra-flanges onde serão montados. Devido a qualidade de balanceamento do eixo cardan é necessário que as contra flanges estejam em boas condições e que sejam observados os valores da tabela 1, para que o eixo funcione conforme esperado. Antes da montagem, efetue uma limpeza rigorosa nas faces das contra-flanges e eixo cardan. Verifique as condições da contra-flange comparando com os valores fornecidos na tabela 1. Caso não estejam nas condições indicadas, deverão ser substituídas.



Tabela 1




Os parafusos de fixação do eixo cardan deverão ter uma residência mínima. O torque de aperto adequado deve seguir conforme recomendação da tabela 2.

Para aplicações especiais, onde há possibilidade de vibrações durante operação, deve-se utilizar porcas auto-travante e/ ou outro sistema de travamento dos elementos de fixação


Alinhamento na Montagem


Os parafusos de fixação do eixo cardan deverão ter uma residência mínima. O torque de aperto adequado deve seguir conforme recomendação da tabela 2.

Para aplicações especiais, onde há possibilidade de vibrações durante operação, deve-se utilizar porcas auto-travante e/ ou outro sistema de travamento dos elementos de fixação.



Tabela 2





Manutenções de Eixos Cardan



1. Inspeção


Seria muito difícil determinar períodos de manutenção de eixos cardan devido ao grande número aplicações em diferentes tipos de equipamentos. A recomendação é de que a verificação de folgas no conjunto deslizante, cruzetas, elementos de fixação, seja efetuada nas paradas programadas para manutenção do equipamento e durante os períodos de lubrificação.

Durante a operação, deve-se observar o comportamento do eixo Cardan e notando-se alguma anormalidade (ruídos estranhos ao funcionamento do equipamento), deve-se parar imediatamente e analisar as possíveis causas.



2. Lubrificação


Os eixos Cardan requerem lubrificação de seus componentes (cruzetas e conjunto deslizante). O período para lubrificação dependera das condições de trabalho de cada aplicação do eixo cardan (sempre que consultar um eixo cardan, informe as condições gerais de trabalho), porém de um modo geral, recomenda-se que o período seja conforme abaixo:
- regime de trabalho 24 h / dia: lubrificar 30/30 dias
- regime de trabalho 8 h / dia: lubrificar 60/60 dias


A lubrificação do cardan deverá ser efetuada em todos os pontos de lubrificação, até que a graxa nova purgue pelos anéis de vedação e respiros. (fig.4)



3. Graxa Recomendada


Para aplicações em ambientes normais recomenda-se graxa tipo EP2 com base de sabão de lítio e disulfeto de molibdênio. Em ambientes onde a temperatura é elevada, existe a possibilidade de contaminação da graxa por água ou ainda existam outras condições que não permitam a utilização da graxa recomendada.



4. Transporte


Ao desembalar o eixo cardan tenha o máximo de cuidado com as graxeiras, evitando apoiar o eixo diretamente no solo. O ideal seria apoia-lo sobre dois calços (fig. 5), evitando-se o contato das graxeiras com o solo, o que poderia causar danos as mesmas e com isso impossibilitando a lubrificação do cardan.

Todo o cuidado deverá ser tomado quando do transporte de eixos cardan. Para evitar danos como empenamentos deve-se transportar o eixo cardan garantindo-se assim a qualidade do funcionamento sem perda do balanceamento.



5. Armazenagem


Ao armazenar o eixo cardan em estoque, remova-o da embalagem e apoie o cardan sobre calços para evitar empenamentos. Recomenda-se que em caso de longos períodos de armazenagem, o eixo cardan seja posto na posição vertical. É importante lubrificar cruzetas e conjunto deslizante no mínimo 02 vezes por ano, mesmo que o eixo cardan permaneça fora de uso.



6. Balanceamento


O balanceamento de eixos Cardan deve ser efetuado quando a rotação de trabalho do mesmo ultrapassa 300rpm. O balanceamento consiste em equilibrar as massas dos componentes aplicados na fabricação, garantindo que as vibrações do Cardan estejam dentro dos limites aceitáveis e desta forma eliminando defeitos no produto acabado e desconforto (quando aplicado em transporte de passageiros). Aplica-se para o balanceamento a norma NBR 8008/83 classe G16, ou conforme a necessidade do cliente, entretanto deve-se analisar a necessidade real da utilização de outra classe devido ao aumento do custo de balanceamento.